Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

Ilustração: o Barbeiro

Imagem
Um servo de Deus entra numa barbearia para fazer barba e cabelo. Durante esse tempo ele começa a falar de Jesus para o barbeiro, e este responde: - Eu não acredito em Jesus, esse negócio de Deus. Deus nada. Se existisse Deus não haveria pessoas na miséria, passando fome, pessoas morando em viadutos. EU NÃO ACREDITO EM DEUS! Com essa resposta o homem de Deus ficou calado. Assim que o barbeiro terminou o seu serviço ele pagou e saiu. Assim que chegou à porta da barbearia a primeira coisa que ele viu num canto foi um mendigo, barbudo e com os cabelos muito grandes.
No mesmo momento o homem de Deus voltou-se para o barbeiro e disse:
- EU NÃO ACREDITO EM BARBEIRO!
Sem entender o barbeiro respondeu:
- Como você não acredita em barbeiro? Eu acabei de corta sua barba e cabelo.
O homem prontamente disse:
- Eu não acredito em barbeiro. Se existisse barbeiro não existiria homem como aquele, barbudo e cabeludo.
Então este disse:
- A culpa não é minha, esse homem recebe esmola todos os dias, se ele viesse aq…

Ilustração: A vaquinha

Imagem
Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo quando avistou ao longe um sitio de aparência pobre e resolveu fazer uma breve visita. Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos. Chegando, constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeira, os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas rasgadas e sujas. Então se aproximou do senhor, aparentemente o pai daquela família, e perguntou: -Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como o senhor e a sua família sobrevivem aqui? E o senhor calmamente respondeu: -Meu amigo, nos temos uma vaquinha que nos da vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros de alimentos e a outra parte nos produzimos queijo, coalhada, etc. para o nosso consumo e assim vamos sobrevivendo. O sábio agradeceu a info…

Ilustração: Feijões no sapato

Imagem
Um monge, próximo de se aposentar, precisava encontrar um sucessor. Entre seus discípulos, dois já haviam dado mostras de que eram os mais aptos, mas apenas um poderia sucedê-lo. Para sanar as dúvidas, o mestre lançou um desafio, para colocar a sabedoria dos dois à prova: ambos receberiam alguns grãos de feijão que deveriam colocar dentro dos sapatos, para então empreender a subida de uma grande montanha.
Dia e hora marcados, começa a prova.
Nos primeiros quilômetros, um dos discípulos começou a mancar. No meio da subida, parou e tirou os sapatos. As bolhas em seus pés já sangravam, causando imensa dor.
Ficou para trás, observando seu oponente sumir de vista. Prova encerrada, todos de volta ao pé da montanha, para ouvir do monge o óbvio anúncio.
Após o festejo, o derrotado aproxima-se e pergunta ao vencedor como é que ele havia conseguido subir e descer com os feijões nos sapatos:  - Antes de colocá-los no sapato, eu os cozinhei – foi a resposta. Essa história mostra a importância de pedirmos sa…

Ilustração: Veneno para sogra

Imagem
Há muito tempo atrás, uma menina chamada Lili se casou e foi viver com o marido e a sogra. Depois de alguns dias, passou a não se entender com a sogra.
As personalidades delas eram muito diferentes e Lili foi se irritando com os hábitos da sogra que frequentemente a criticava.
Meses se passaram e Lili e sua sogra cada vez discutiam e brigavam mais.
De acordo com antiga tradição chinesa, a nora tinha que se curvar a sogra e a obedecer em tudo.
Lili já não suportando mais conviver com a sogra decidiu tomar uma atitude e foi visitar um amigo de seu pai, que a ouviu e depois com um pacote de ervas lhe disse: - Você não poderá usá-las de uma só vez para se libertar de sua sogra porque isso causaria suspeitas. Vou lhe dar várias ervas que irão lentamente envenenando sua sogra. A cada dois dias ponha um pouco destas ervas na comida dela. Agora, para ter certeza de que ninguém suspeitará de você quando ela morrer, você deve ter muito cuidado e agir de forma muito amigável. Não discuta, ajudarei a r…

Não espere...Decida!

Enquanto espera para pegar um amigo no aeroporto de Portland, Oregon, eu tive uma dessas experiências de vida que você ouve falar de outras pessoas – o tipo que te joga para cima de forma inesperada. Este ocorreu uns meros dois metros de distância de mim. Esforçando-se para localizar o meu amigo entre os passageiros desembarcar, eu observei um homem vindo em minha direção carregando dois sacos. Ele parou perto de mim para cumprimentar sua família. Primeiro, ele apontou para seu filho mais novo (talvez seis anos de idade), como ele deu a sua bagagem. Eles deram um abraço longo e carinhoso. Como eles se separaram o suficiente para olhar em cada rosto do outro, eu ouvi o pai dizer: “É tão bom ver você, meu filho. Eu estava tão longe. Quantas saudades eu senti! “Seu filho sorriu um pouco timidamente, desviou os olhos e respondeu baixinho:” Eu também, papai! “ Então o homem se levantou, olhou nos olhos do seu filho mais velho (talvez nove ou dez anos) e, enquanto acariciava o rosto de seu fil…

Não se canse de fazer o bem!

Imagem
Um jovem caminhava por uma estrada deserta quando ouviu um som semelhante a um gemido. Ele não sabia ao certo que ruído era aquele, mas parecia vir de algum lugar embaixo da ponte.

Conforme ele ia se aproximando da ponte, o som ficava mais forte. Foi então que ele viu uma cena que o comoveu. Deitado no leito do rio lamacento estava um cachorrinho de cerca de dois meses de idade. Ele tinha um ferimento na cabeça e o corpo coberto de lama. As patinhas da frente estavam amarradas com uma corda e inchadas.
Imediatamente, o jovem foi tomado de compaixão e dispôs-se a ajudar o cachorrinho, mas, quando ele se aproximou, o gemido cessou e o animal arreganhou os dentes e começou a rosnar. O jovem, porém, não desanimou. Abaixou-se e passou a conversar carinhosamente com o animalzinho.
Depois de certo tempo, o cachorrinho parou de rosnar e o jovem pôde aproximar-se mais um pouco, até tocá-lo e começar a desamarrar a corda. O jovem levou o cachorrinho para casa, cuidou de seus ferimentos, deu-lhe…

Aconteceu: A última corda

Imagem
Era uma vez um grande violinista chamado Paganini. Alguns diziam que ele era muito estranho. Outros, que era sobrenatural. As notas mágicas que saíam de seu violino tinham um som diferente, por isso ninguém queria perder a oportunidade de ver seu espetáculo. Numa certa noite, o palco de um auditório repleto de admiradores estava preparado para recebê-lo. A orquestra entrou e foi aplaudida. O maestro foi ovacionado. Mas quando a figura de Paganini surgiu, triunfante, o público delirou. Paganini coloca seu violino no ombro e o que se assiste a seguir é indescritível. Breves e semibreves, fusas e semifusas, colcheias e semicolcheias parecem ter asas e voar com o toque daqueles dedos encantados. De repente, um som estranho interrompe o devaneio da platéia. Uma das cordas do violino de Paganini arrebenta. O maestro parou. A orquestra parou. O público parou. Mas Paganini não parou. Olhando para sua partitura, ele continua a tirar sons deliciosos de um violino com problemas. O maestro e a orques…

Ilustração: o Lenhador motivado

Imagem
Era uma vez um lenhador muito forte que conseguiu um emprego em uma nova madeireira que se instalava na região. O salário era muito bom e as condições de trabalho também. Por essa razão, o lenhador estava determinado a fazer o seu melhor. Seu chefe lhe deu um machado e mostrou-lhe a área onde deveria cortar as árvores. No primeiro dia, o lenhador cortou 15 (quinze) árvores. “Parabéns”, o chefe disse: “Continue com seu trabalho!” Altamente motivado pelas palavras de seu chefe, o lenhador tentou cortar mais no dia seguinte, porém, ele só conseguiu abater dez árvores. No terceiro dia ele tentou mais ainda, porém ele só foi capaz de derrubar sete árvores. Dia após dia, ele estava derrubando cada vez menos árvores. “Eu devo estar perdendo a minha força.” O lenhador pensou. Ele foi até o patrão e pediu desculpas, dizendo que ele não conseguia entender o que estava acontecendo. “Quando foi a última vez que você afiou o seu machado? o chefe perguntou. “Perdão chefe, não tive tempo para afiar o meu ma…

Aconteceu: Não Julgue segundo a Aparência!

Imagem
Malcolm Forbes conta que uma senhora, usando um vestido de algodão já desbotado, e seu marido, trajando um velho terno feito à mão, desceram do trem em Boston, EUA, e se dirigiram timidamente ao escritório do presidente da Universidade Harvard.  Eles vinham de Palo Alto, Califórnia e não haviam marcado entrevista. A secretária, num relance, achou que aqueles dois com aparência de caipiras do interior, nada tinham a fazer em Harvard. – Queremos falar com o presidente, disse o homem em voz baixa. – Ele vai estar ocupado o dia todo, respondeu rispidamente a secretária.
– Nós vamos esperar.
A secretária os ignorou por horas a fio, esperando que o casal finalmente desistisse e fosse embora. Mas eles ficaram ali, e a secretária, um tanto frustrada, decidiu incomodar o presidente, embora detestasse fazer isso. – Se o senhor falar com eles apenas por alguns minutos, talvez resolvam ir embora, disse ela.
O presidente suspirou com irritação, mas concordou.
Alguém da sua importância não tinha tempo para …

Ilustração: Quem é seu pai?

Um pastor uma vez saiu de ferias com a esposa. Ele era bastante cohecido na sua região e queria ter pelo menos alguns dias de ferias com a esposa. Num outro estado eles entraram num restaurante e sentaram para jantar.
De repente eles viram um senhor de certa idade indo de mesa em mesa cumprimentando os freguêzes. O senhor chegou à mesa do pastor e se apresentou e perguntou o nome do pastor. Daí ele perguntou o que o pastor fazia. Quando o pastor respondeu que era pregador aquele senhor sentou e disse “Eu tenho uma história para lhe contar sobre pregadores.”
O pastor ficou meio apreensivo. Ele pensou que aquele senhor ia criticar algum pregador local. Mas, não foi assim. O senhor começou a contar que havia nascido de uma mãe solteira. Na época, uns 50 anos atrás, isso era um escândalo. A cidade era pequena e todo mundo ficou sabendo.
Como menino, a criança não entendia destas coisas. Mas, quando ele começou a frequentar a escola, ele aprendeu o que as pessoas chamam uma criança sem pa…

Testemunho de João

João tinha acabado de sair do culto por volta das dez da noite. Por conta de um incidente seu carro não funcionou então teve que retornar para casa a pé e resolveu pegar um atalho. A noite estava muito escura e fria, mas, apesar dos contratempos, João estava feliz, pois se sentia cheio da presença de Deus após aquele culto abençoado.
A rua estava deserta naquele horário e de repente, ao chegar em uma esquina, João sentiu uma incontrolável vontade de glorificar a Deus. Ele então olhou para os lados e pensou que poderia incomodar as pessoas que provavelmente já estariam dormindo, achou que seria impróprio...
Mas a vontade crescia mais e mais a cada minuto que passava. João então não se conteve e bradou com todas as forças de seu pulmão: _ Glória a Deus!!
A voz de joão ecoou pelas ruas vazias. Ele não conseguia explicar o que estava sentindo, mas a verdade é que foi tomado por uma maravilhosa sensação que percorria todo o seu corpo. Era como se estivesse se enchendo de vida, vida e mais…

Ilustração: O destino da borboleta

Imagem
Existia, próximo a uma pequena cidade, uma casinha bem simples, no alto da serra, onde morava um velho sábio, contador de histórias, uma pessoa querida e respeitada por todos que viviam naquela região. Certo dia, um grupo de jovens travessos, sonhadores e com energia transbordando, tiveram uma brilhante ideia:
- Hoje, nós vamos desbancar aquele velho! Vamos mostrar para ele que ele é capaz de errar… A gente pega uma borboleta, coloca entre as mãos, vai até ele e pergunta o que é que a gente tem nas mãos. Como ele é sábio, facilmente vai responder. Vamos perguntar, depois que ele acertar que é uma borboleta, se ela está viva ou morta. Se ele responder que está viva, a gente aperta a mão com força e mata a borboleta, em seguida, mostrando para ele que está morta; se responder que está morta, a gente abre a mão e ela sai voando. Dessa vez o sábio não vai saber a resposta! E assim fizeram. Pegaram uma borboleta no campo florido e dirigiram-se, eufóricos, até a casa do velho sábio. Aproximaram-…

Artesanato: Embalagem de presente

Imagem
 Material Necessário Pedaço de fita ou feltro
Papel colorido Tesoura Grampeador Molde (disponível no fim da página)


 Como fazer 1) Corte pedaços de papel decorado utilizando o molde abaixo. Corte também papel em formato de folha, preferencialmente na cor verde.
2) Em seguida, corte pedaços de fita ou feltro, para colocar no interior da flor.
3) Após tudo cortado, é hora de montar as florzinhas. Siga os passos da foto acima: dobre o papel e coloque o pedaço de fita dentro; junte com a folha e grampeie tudo para fixar.
4) Depois de fazer as florzinhas, monte-as na embalagem do seu presente.


Molde
Fonte: http://ohhappyday.com/2012/04/paper-calla-lilies-diy/

Ilustração: Beija flor e a floresta

Imagem
Havia um grande incêndio na floresta.

As chamas se elevavam a uma enorme altura e as árvores começavam a ser pouco a pouco destruídas pelo fogo.


Os animais, apavorados, corriam em busca de abrigo, fugindo desesperadamente da catástrofe. Enquanto isso, um pequenino beija-flor voava velozmente até o rio, pegava no minúsculo bico uma gota de água e trazia-a até a borda da floresta, deixando-a cair sobre as chamas.


Observando o vai-e-vem da ave, uma coruja velha e ranzinza que ia passando por ali interrogou-o: - O que você está fazendo, beija-flor?


- Não está vendo? Estou trazendo água do rio para apagar o incêndio antes que ele destrua toda a floresta – respondeu a avezinha.


- Você deve ser maluco – disse a coruja. – Não está vendo que é impossível apagar esse incêndio enorme com essa gotinha de água?

- Sei disso – o beija-flor falou. – Estou apenas fazendo a minha parte.

Inventando...

Imagem

Pense nisso

Imagem
Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Havia um trabalho importante a ser feito e TODO MUNDO tinha certeza de que ALGUÉM o faria. QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fêz. ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODO MUNDO. TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo. Ao final, TODO MUNDO culpou ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito.
Imagem
Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia: 'Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre.
Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal....' A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.
A voz misteriosa falou novamente: 'Você só tem oito minutos.'
Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...
Lembrou-se, então, que criança ficara lá e a porta estava fechada para sempre!!!
A riqueza durou pouco e o desespero sempre. O mesmo acontece, as vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver, neste mundo, e uma voz sempre nos adverte…

Ilustração: 3 Peneiras

Imagem
João foi promovido na empresa. 


Logo no primeiro dia, para fazer média com o novo chefe, saiu-se com esta: - Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Paulo, disseram que ele....


Nem chegou a terminar a frase, o chefe aparteou: - Espere um pouco, João. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras? - Peneiras? Que peneiras? - Perguntou João.


- A primeira, João, é a da VERDADE. Você tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro? - Não. Não tenho, não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram. Mas eu acho que...


E, novamente, João é interrompido pelo chefe: - Então sua história já vazou a primeira peneira.


Vamos então para a segunda peneira, que é a da BONDADE. O que você vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito? - Claro que não! Deus me livre, chefe! - diz João, assustado. - Então, - continua o chefe - sua história vazou a segunda peneira.


Vamos ver a terceira peneira, que é a da NECESSIDADE. Você acha mesmo necessário m…

Um mãe exemplar: Suzana Wesley

Imagem
"Das mães que deixaram o exemplo da oração na história, Susanna Wesley é a minha favorita e podemos aprender muito com ela. De seus dezenove filhos, que nasceram entre 1690 e 1709, apenas nove chegaram à idade adulta. Depois que ela teve seu nono filho, Susanna decidiu aumentar o seu tempo de devoção e oração de uma hora para duas. Aqueles que a conheceram sabiam que sua coragem e sua paz vinham dos momentos que ela passava com Deus todos os dias.
A vida de Susanna não era fácil. Sua casa era um barraco de barro; seu marido era um homem muito difícil; sua casa pegou fogo duas vezes, e quase tudo ficou destruído; ela tinha grandes problemas financeiros por causa das dívidas de seu marido. Porém, a sua força estava no Senhor, e o propósito dela era claro: criar os seus filhos para a glória de Deus.
Susanna educou rigorosamente os seus filhos, ensinando-os seis horas por dia em sua casa mas ela sabia que a maturidade espiritual deles dependia da ajuda divina. Sua biografia descreve …